Enfim o dia chegou. Dia 6 de Setembro de 2017 fica marcado como o dia oficial do lançamento mundial da nova versão do PMBOK Guide 6th. Tá, mas sendo a sexta versão do Guia publicado pelo PMI, já houve 5 (cinco) outros lançamentos, e o que este tem de diferente?

Muita coisa eu diria meu caro. Vou tentar explicar rapidamente.

Muitos profissionais da área de projetos veem o PMI como um instituto tradicional de gestão, que prega práticas robustas, fortes e eficientes, que funcionam para tudo e que só o Guia PMBOK merece respeito. Por outro lado, criticam outras práticas, como as Ágeis, por entenderem que representam justamente o contrário: “Ágil é frágil, fraco e ineficiente”, e ainda veio para acabar com os projetos e colocar o caos e a zona em tudo.

Bom, na verdade ambas as afirmações não são verdadeiras, e a data de 6 de setembro de 2017 marca isso pelo lançamento oficial do novo Guia PMBOK 6a edição, que desta vez trás em seu conteúdo, e de forma explicita, a agilidade como complemento as suas boas práticas.

Particularmente para mim é uma grande felicidade e satisfação ver o PMI explicitamente e oficialmente afirmar que o Agile complementa o seu principal guia e é também considerado uma boa prática de gestão de projetos. Eu venho dizendo isso também abertamente a anos, especialmente depois do lançamento do meu primeiro livro em 2013, “Scrum e PMBOK unidos no gerenciamento de projetos”, que fala justamente sobre a utilização do PMBOK Guide 5th com Scrum e Kanban, que são duas das principais ferramentas do Agile.

Apesar da notícia boa, alguns criticaram o PMI por demorar muito a incluir o Agile em seu guia de forma explícita, pode até ser, mas por outro lado não demorou tanto assim, sabe porque?

O Guia PMBOK, como o nome já diz, é um guia de boas práticas que funcionam para a maioria dos projetos, na maioria dos casos, e isso só é possível porque os autores (ou colaboradores) do Guia são profissionais que conhecem, estudaram, aplicaram e tiveram resultados em projetos reais ao longo de anos, e após resultados comprovados de diversas boas práticas, estas passaram a compor versões do Guia PMBOK ao longo de anos. O mesmo aconteceu com o Agile agora.

Por isso, é totalmente normal o PMI ter esperado alguns anos para que os resultados do Agile fossem percebidos no mundo inteiro. Após alguns anos, é reconhecido que o Agile vem apresentando resultados sólidos e concretos em milhares de projetos ao redor do mundo, e milhares de profissionais de projetos atestam sucesso aos seus projetos com a aplicação do Ágil. Com isso o Agile passa a ser também um conjunto de boas práticas que compõem o PMBOK Guide, que passa a trazer vários conteúdos relacionados ao tema Agile em sua sexta e nova edição, tais como:

  • Informações sobre práticas ágeis e iterativas foram adicionadas em cada área de conhecimento, através de sessões introdutórias, trazendo pelo menos:
    • Conceitos chaves: Informações fundamentais de cada área
    • Tendências e práticas emergentes para cada área
    • Consideração de adaptação: Descreve aspectos do projeto ou do ambiente para ser considerado
    • Abordagens para ambientes ágeis, iterativos e adaptativos
  • Tailoring (Adaptação de processos: Que significa analisar o projeto para determinar quanta ênfase colocar em cada processo com base no escopo e tamanho do projeto. Este item me lembrou a parte de Adequação do PRINCE2, que mostra uma evolução do Guia PMBOK em mais um aspecto.

Um ponto principal que destaco destas inclusões de conteúdos relacionados a métodos ágeis e outras práticas adaptativas e iterativas, é que o Guia PMBOK, e o PMI, mostram um alinhamento dos conceitos provados básicos de gerenciamento de projetos com o estágio evolucionário das profissões ligadas a projetos.

Eu comecei falando que este dia foi marcante não é? Foi mesmo, porque as novidades ainda não acabaram. Além do PMBOK Guide 6th repleto de ágil, o PMI ainda lançou o seu novo guia de prática: O Agile Practice Guide.

O Agile Practice Guide representa fortemente a aliança feita entre o PMI e a Agile Alliance, uma das mais importantes instituição de Agile do mundo, que reúne especialmente os criadores do Manifesto Ágil. (caso não conheça acesse www.manifestoagil.com.br).

O Agile Practice Guide é um guia de práticas ágeis escrito a quatro mãos por profissionais ligados ao PMI juntamente com profissionais ligados a Agile Alliance, de modo a ser um guia que ambas as instituições aprovam e mantém referência.

Este post é só um gostinho dos muitos que vou escrever nas próximas semanas. Então se prepare porque eu voltarei em breve com mais posts falando sobre as inclusões de métodos ágeis no Guia PMBOK, das novidades da nova versão e do conteúdo do Agile Practice Guide. Enquanto isso, caso você queira se enfiar nas leituras de ambos os guias, veja como você pode pegar os seus guias nos detalhes no final deste post.

Bom, por agora eu vou encerrar este post dizendo que definitivamente não tem mais volta meu amigo. O Agile veio para ficar e está cada vez mais ganhando seu espaço de direito. Lembro-me que a pouco tempo atrás alguns profissionais ainda diziam que o Agile era só uma modinha e que não funcionava. Agora me pergunto o que estes mesmos estão pensando:

  • “O Agile ainda é uma a modinha?”
  • “O PMI aderiu a modinha?”
  • “Eu que estou fora de moda?”

Informações sobre a aquisição dos guias

O PMI já liberou as versões em PDF, gratuitamente, a todos os filiados através do site oficial www.pmi.org. É só logar e clicar em “PMBOK Guide & Standards” no menu superior. A versão digital do PMBOK Guide 6th já está disponível em vários idiomas, incluindo o português. Já a versão digital do Agile Practice Guide só está disponível no idioma inglês por enquanto.

As versões impressas de ambos os Guides, por enquanto, só podem ser encontradas no idioma inglês e estão a venda no site oficial do PMI (www.pmi.org) por $ 99.00 (doláres) para não filiados, e $ 49.50 (doláres) para filiados. Estes valores são para a compra dos dois Guias juntos. Na Amazon também é possível encontrar o mesmo pacote com o PMBOK Guide 6th e o Agile Practice Guide por R$ 275,42 (reais), e só clicar aqui e conferir.