Recentemente tenho recebido vários questionamentos sobre o termo Grooming, principalmente de profissionais que estão iniciando com práticas ágeis e aplicação de frameworks como o Scrum. Então resolvi escrever este post para contribuir com o entendimento da prática e do termo.

Há problemas com o uso do termo Grooming, e confesso que eu mesmo há pouco tempo ainda usava de vez em quando este termo, e que também não entendia muito bem o problema em usá-lo.

Bom, em primeiro lugar Grooming é uma palavra de origem inglesa que tem algumas traduções ou interpretações diferentes de acordo com a região e o foco, e quando procuramos no dicionário encontramos variantes como: Preparação, enfeitar, arrumar, adestrar, tratar de, entre outros.

O Grooming utilizado e falado pelos profissionais do Agile foi inserido na comunidade por Ken Schwaber, um dos fundadores do Scrum a alguns anos. O termo se refere a preparação de backlog, mais conhecido como refinamento, que é o ato de detalhar, entender mais profundamente, adicionar características, estimar, priorizar e manter o backlog do produto vivo.

No entanto, quando este termo começou a sair dos EUA e invadir outras comunidades de Agile pelo mundo, algo constrangedor começou a acontecer, e este é o problema em relação ao termo. Para alguns países de língua inglesa, o termo Grooming é utilizado para representar o crime de aliciamento de crianças e crimes ligados a pedofilia. Há inclusive o “online grooming” ou “cyber-grooming” que se refere a crimes praticados contra crianças pela internet.

Devido a isso, o termo Grooming começou a ser recriminado e deixado de ser utilizado na comunidade de Agile do Mundo, inclusive no Brasil, para evitar confusões e constrangimentos. O cuidado é ainda maior para quem trabalha com times internacionais e profissionais estrangeiros. No Brasil já há referências ao Grooming como crime de pedofilia e aliciamento de crianças, então para evitar qualquer tipo de constrangimento, a sugestão, é que o termo Grooming não seja mais utilizado na comunidade Ágil.

O termo correto então é o Refinement para a língua inglesa e Refinamento para o português. As práticas de preparação do backlog do produto são as mesmas do antigo Grooming, apenas o termo é que mudou. Inclusive o Guia do Scrum 2016 já traz o termo oficial Refinement na versão em inglês, e refinamento da versão em português.

Então é isso, continue realizando seus refinamentos de backlog. Use sempre que necessário e tenha sempre em mente que refinar é essencial para se entender melhor e detalhar o suficiente para se desenvolver uma entrega de valor, além de que somente o refinamento possibilita uma correta estimativa, priorização e descobertas antecipadas de mudanças de backlog.

Em resumo: Pare de falar Grooming, mas não deixe de Refinar o backlog do seu produto.